Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Julho 17, 2003

Guterradas

Miguel Marujo

Tinha prometido a mim mesmo que não voltaria a utilizar este espaço para responder a afirmações feitas por outros bloguistas cibertúlicos, mas há momentos em que é preciso não cumprir as promessas.



Diz o Zé Salvado que viu ontem o Guterres e que este lhe provoca nojo. E que, não sei se por isso mesmo, prefere engolir um sapo do tamanho do mundo e votar Cavaco nas presidenciais. A talhe de foice (sem martelo!), o Zé também insinuou que as pessoas que não trabalham têm reuniões. O que, acrescento eu em tom de defesa, não é o mesmo que dizer que quem tem reuniões não trabalha. Ou será que é?...



O Miguel, enquanto ia falando da Ucrânia e da sua empregada, disse ao Zé, por outras palavras, que preferia comer mil sapos a votar no Cavaco. O que, confesso, é uma imagem que me provoca a mesma sensação que o Guterres provocou ao Zé.



Depois, o Zé respondeu. Disse que quem foge e faz birra não é líder e que a cobardia não tem perdão. E que a tal discussão gastronómica que envolvia sapos (um ou mil) é uma questão de coluna vertebral. Confesso que fiquei baralhado, porque não sabia que a coluna vertebral fazia parte do sistema digestivo... mas um homem está sempre a aprender!



Eu sei que o Zé Salvado não é aquele Zé que o Durão Barroso uma vez encontrou na rua e lhe contou uma série de tangas... Mas bem podia ser! Se virmos bem, isto do Guterres provocar nojo no Zé já não é de agora!

Eu cá ando desconfiado que foi com medo do Zé que o Guterres bateu em retirada, não seguindo o bom exemplo desse grande líder que foi D. Sebastião. A esse sim, estou certo, não hesitaria o Zé em entregar o mais alto cargo da Nação que, de resto, já lhe pertenceu! Lembrem-se: um líder não faz birra e não foge! Se não acreditarem, perguntem ao Fidel!



De gastronomia não falo mais, que a hora do jantar aproxima-se a passos largos. Mas sempre vou dizendo que a Tatiana é que tem razão: mais vale um croquete frio antes de ir para a cama, do que um sapo antes de ir votar!





P.S. - Já agora, deixem-me dizer mais uma coisa: se é verdade o que o Zé diz, que "o tonto do portuga é o único que pensa altruisticamente", então fico contente! Pelo menos numa coisa, o "tonto do portuga" é que tem razão! E fica já o aviso: quando ele se candidatar a alguma coisa em que eu possa votar (a NATO não conta!), tem o meu voto! Sem sapos...