Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Novembro 19, 2013

Em tempos de carestia

Miguel Marujo

Nestes tempos de austeridade sem fim à vista, por opção de quem governa, os jornais multiplicam pequenos sinais de aparente esperança. Hoje tropecei na notícia, que antes não o seria: «Santa Casa da Misericórdia de Lisboa vai dar emprego a dez licenciados». Há semanas era a nota de que a Noruega, como antes o Canadá, procurava engenheiros e outros licenciados portugueses (e sim, a M. e o C. partiram para lá em agosto).
É isto: os jornais, que viram as suas páginas de anúncios definharem até à pele (das meninas de relax), multiplicam notícias sobre ofertas de emprego - nem que sejam 10-dez-10 escassos lugares para... licenciados.
O problema permanece: pode o desemprego baixar escassas décimas (mas, caramba!, um milhão sem emprego é um milhão sem emprego!), podem os economistas de regime insistir na via única, que o que estas notícias de aparente esperança nos mostram é a desesperança - da geração mais bem formada obrigada a partir. Ou de uma geração afunilada a concorrer aos milhares (quase aposto) para escassos dez lugares. Há vida para além do défice, claro. Essa vida tem pessoas, é feita de pessoas, não de folhas excel ou de políticas destruidoras de famílias e pessoas.