Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Agosto 16, 2012

Contragosto

Miguel Marujo

Fica-se a trabalhar, a cidade mais vazia, apesar do tempo tropeçar para completar o trabalho forçado dos que se ausentaram, e tenta-se a notícia. E a notícia esbarra naqueles que supostamente são facilitadores do contacto dos jornalistas com os ministros, governantes e outros que tais deste país. Ganham bem mas trabalham mal. Não é má vontade minha por estar a trabalhar em agosto, é prática comum ao inverno e outono, primavera e verão.

Agosto 15, 2012

assunção, arrebatamento

Miguel Marujo


nome feminino
1.   ato ou efeito de assumir

2.   sujeição ou vinculação a um dever

3.   arrebatamento

4.  [com maiúscula] RELIGIÃO elevação milagrosa da Virgem ao Céu

5.  [com maiúscula] RELIGIÃO festa ou dia comemorativo dessa elevação


(Do latim assumptiōne-, «ato de tomar para si»)

Agosto 13, 2012

Foi apenas há 23 anos...

Miguel Marujo


«[...] Só queria lembrar, a quem tenta ridicularizar e menorizar a insinuação das escutas nos aparelhos de ar condicionado, que a Guerra Fria aconteceu realmente, que ninguém estava a brincar em serviço, que o que seria de surpreender é que, no momento em que Portugal vacilava entre os dois blocos, não houvesse escutas instaladas quer por russos quer por americanos. [...] De facto, não me interessa se as escutas eram instaladas pelos técnicos dessa empresa, ou de outra -  embora o assunto seja do interesse das pessoas atingidas pela insinuação, e interessará ao país e aos historiadores, para conhecer estes detalhes da guerra fria. O que me incomoda, e muito, é o modo como estes assuntos se tratam em Portugal: insinuações (ou, outras vezes, notícias), rebatidas com argumentos ad hominem e anedotas para ridicularizar o assunto em vez de o enfrentar e debater com seriedade.»

 

A Helena sempre foi "muito cá de casa", nas coisas que diz, nos percursos que fizemos. Agora, com a experiência de quem vive em Berlim, a cidade tanto tempo ferida, escreve sobre o que foi um aparente fait-divers estival, das declarações de Zita Seabra. Ide ler - a RDA ainda está aí ao virar da esquina.

Agosto 13, 2012

manta rota: rendas

Miguel Marujo

As rendas vão aumentar acima da inflação para o próximo ano. Estes aumentos já não vêm a tempo de incidir no preço da renda de uma certa moradia na Manta Rota.

Agosto 12, 2012

fecho

Miguel Marujo




Vamos ouvir o tradicional elogio: foram os melhores jogos de sempre; não sei se foram, mas daqui a muitos anos hei de poder contar a quem quiser ouvir que vi e vivi nos anos de duas lendas: Usain Bolt e Michael Phelps.

Agosto 10, 2012

Sobre o rigor das palavras

Miguel Marujo

A propósito do artigo que hoje escrevo no DN, sobre "espionagem" alegadamente feita pelo PCP (é o termo), fui acusado (sou um dos dois jornalistas que hoje escreveu na imprensa sobre o tema) por um historiador de "manipular" as afirmações de Zita Seabra. Deixei este comentário no mural (facebook) de Rui Bebiano - o historiador em causa - perante o que para mim é uma interpretação muito pouco rigorosa sobre as afirmações da antiga dirigente comunista:
"Caro Rui, eu ouvi e transcrevi palavra a palavra a conversa de Mário Crespo e Zita Seabra. Sou um dos dois jornalistas que hoje escreveu sobre o tema e não acho que tenha posto na boca de Zita palavras e ideias a entrevista (que ela não refuta). Como jornalista, sinto-me ofendido que um historiador que prezo diga que manipulei as palavras de Zita e que é uma "versão falsa". Lamento, mas posso devolver-lhe essa do "vale tudo".
Transcrevo Zita:
«A [empresa] do ar condicionado era uma empresa particularmente simpática do ponto de vista da guerra fria, do ponto de vista do PCP porque os ares condicionados entravam em tudo o que eram gabinetes...» (e ri-se, sendo interrompida por Crespo); e acrescenta: «Era muito frequente brincar-se: "em que gabinete estará aquele ar condicionado". Do Ministério da Defesa, ...» E é de novo interrompida por Crespo.
Mais à frente, perante a questão se «faria sentido a colocação de equipamento de escutas integrado em...», Zita Seabra acrescenta sem o deixar acabar: «Em tudo o que eram ministérios, sítios nevrálgicos e órgãos de poder. Eu não posso afirmar que tive conhecimento que estavam microfones em tudo o que era ares condicionados, mas posso dizer que era uma empresa obviamente estratégica para o PCP e para a RDA.»"

Agosto 10, 2012

A espionagem que veio com o frio

Miguel Marujo

«A antiga dirigente do PCP Zita Seabra sugeriu que os comunistas usavam os aparelhos de ar condicionado para espiar "tudo o que eram ministérios, sítios nevrálgicos e órgãos de poder", instalados nos anos 1980 pela FNAC - Fábrica Nacional de Ar Condicionado. A empresa era propriedade de Alexandre Alves, conhecido por "barão vermelho" por ser comunista e benfiquista, e que voltou a ser notícia esta semana por o Governo ter rompido o contrato com o empresário para a construção de fábricas de painéis solares em Abrantes.»