Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Fevereiro 14, 2012

New ideas

Miguel Marujo

Leonard Cohen voltou em 2012 para mostrar-nos porque o velho canadiano só nos traz novas ideias. O novo álbum Old Ideas foi pretexto, por estes dias, para mais uma homenagem em cheio de outros músicos ao mestre - Mojo's The Songs Of Leonard Cohen Covered é mais do que um CD que acompanha uma revista. É engraçado como Cohen se presta a ser tão bem coberto por outros músicos, como provam a genialidade das versões de Hallelujah por John Cale e Jeff Buckley. Apesar de não estar ao nível de I'm Your Fan (onde se ouve Cale), também não será tão desequilibrado como este duplo álbum de 1991. Quanto mais não seja, esta nova leva de covers tem Bill Callahan em So Long Marianne.

 

 

[actualize-se: por momentos, esquecia-me desta outra referência fílmica e musical: I'm Your Man.]

Fevereiro 12, 2012

Sem guarda-costas

Miguel Marujo

 

Morreu Whitney Houston. Um nome que nunca me disse nada musicalmente, nem no cinema que fez. O registo que me importa é o apagamento de uma geração - nalguns casos traduzindo fisicamente a expressão morte do artista - que é também o apagamento de uma certa indústria. Que nasceu e viveu na era da MTV, quando o M era de music.

Fevereiro 07, 2012

Privatização

Miguel Marujo

«Não é só a economia: a política, em Portugal, parece estar também em processo de privatização. Algo que se reserva para os gabinetes dos partidos e para os recessos dos bailes de máscaras, mas que não deve sair à rua. E, quando sai, sai apenas com dichotes gastronómicos ou vitríolo anónimo. Nesta política, os cidadãos estão a mais. Estamos aqui a mais. É por isso que nos convidam tão insistentemente a emigrar.»

 

José Vítor Malheiros

Fevereiro 07, 2012

Contra a inevitabilidade

Miguel Marujo

Ordinary people. The courage to say no.

The photo was taken in Hamburg in 1936, during the celebrations for the launch of a ship. In the crowed, one person refuses to raise his arm to give the Nazi salute. The man was August Landmesser. He had already been in trouble with the authorities, having been sentenced to two years hard labour for marrying a Jewish woman.
We know little else about August Landmesser, except that he had two children. By pure chance, one of his children recognized her father in this photo when it was published in a German newspaper in 1991. How proud she must have been in that moment.
[via facebook de Rui Bebiano]