Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Maio 06, 2011

A solução do problema

Miguel Marujo

Ao contrário de Teixeira dos Santos, falso ministro de um governo dito socialista, o eleitor do PS gosta de acreditar que há soluções governativas de esquerda. No actual quadro, em que as sondagens dão um bloqueio a qualquer solução de direita e um empate técnico que obrigará qualquer vencedor (PS ou PSD) a entender-se com outros, talvez valesse a pena à esquerda ensaiar pontes que até aqui têm sido impossíveis. Um PS sem Sócrates não é solução para um entendimento com PSD e CDS, como sonhou no Verão passado Paulo Portas; deve antes ser um PS que procure o BE e o PCP para soluções de um arco de governação à esquerda. Como Lisboa já teve, com tão bons resultados.

Maio 06, 2011

A parte do problema: bloco central de ódio

Miguel Marujo

A cegueira lusitana transparece entre corporativos incapazes de aceitarem uma crítica e reconhecerem um erro, delapidando o que diziam ontem com os factos de hoje e atacando supostas e fantasiosas secções laranjas de jornais porque, no fundo, apenas desejam um jornalismo acéfalo que não questione e que seja pé de microfone das suas ideias e líderes. E porque apenas desejam manter um estado de coisas que seja o dos seus. Do outro lado, há alberguistas que derramam raiva a uma só pessoa, como se os seus não tivessem pactuado e assinado de cruz todos os documentos que insistem em atacar, escondendo que os passos a dar são a destruição do que vai restando de um certo estado social, para os entregar a uma agenda ainda mais neoliberal. Depois ficam muito admirados com as sondagens.

 

O engraçado disto vai ser ver estes dois grupos arregimentados num bloco central de governação depois de 5 de Junho, obrigados a entenderem-se, roídos de ódios. E querem que se aceite isto como inevitável.

Maio 06, 2011

A parte do problema: o ministro mentiroso

Miguel Marujo

Teixeira dos Santos veio ontem saudar o facto de PS, PSD e CDS serem "parte da solução". O ministro mentiroso (mentiu no PEC I, PEC II, PEC III e no PEC IV) que abriu portas a uma morte lenta do Estado Social, que tornou cada exercício de contas numa mera retórica ilusória, de um governo dito socialista, veio saudar a solução do PSD e CDS, que aplaudem com indisfarçável vigor a liberalização excessiva de sectores da economia e da sociedade que os portugueses não votaram em 2009. E Teixeira dos Santos ataca o BE e o PCP por serem "parte do problema", mantendo o País "num PREC permanente", quando o natural seria um ministro dito socialista tentasse governar à esquerda, com quem está à esquerda.

 

O problema é que mais uma vez Teixeira dos Santos mente. Com os dentes todos, a parte do problema é ele - e as suas políticas mentirosas. Os sacrifícios que ele pede (mais uma vez) aos portugueses são aos mesmos de sempre, a quem é fácil obrigar a pagar a factura. O ministro que é o problema devia ter vergonha na cara e pedir desculpa.

 

Bater com a porta é desnecessário, apesar de agora ter montado uma campanha do ministro bom face ao primeiro-ministro mau e de andar a deixar escapar que está em colisão com Sócrates. Não: Teixeira dos Santos é um ministro péssimo que está em rota de colisão com o País.