Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Agosto 29, 2010

Só neste País

Miguel Marujo

Unamo-nos
Nós somos os famosos anónimos
Mesmo assim já cumprimos os mínimos
Somos todos únicos
Que mais vão querer de nós
Para provar quem vai à frente
Ou fica atrás

Se é por
Ir estabelecer um novo record
Compremos o Guinness
Ao preço que for
E fica o assunto homologado
E sai espumantes
Às vezes dá p’ra um banquete
Ou dele as sandes

Sempre
Complicamos a coisa mais simples
E simplificamos a complicada
Sai em rajada
O tiro pela culatra
Às vezes mata
Às vezes ressurreição
Foi de raspão

(Só neste país…)

Só neste país
É que se diz:
Só neste país
Só neste país
Só neste país
Só neste país
Só neste país

São muitos séculos em morna ebulição
A transitar entre o granizo e a combustão
E um qualquer hino
P’ra qualquer situação
A pessimista, a optimista…
E vai abaixo e vai acima
E vai abaixo, e vai acima
(e agora a rima):

Portugal é nosso p’ro bem e p’ro mal

E o mal que está bem
E o bem que está mal
E o bem que está bem

Juro
P’lo fado
P’lo baile e p’lo kuduro
Que este país ‘inda tem futuro
É verde e maduro
Como a fruta, às vezes brota
Às vezes, consternação
Secou no chão

Por isso unamo-nos
Nós somos os famosos anónimos
Mesmo assim já cumprimos os mínimos
Somos todos únicos
Que mais vão querer de nós
Para provar
Quem vai à frente
Ou fica atrás…

(Só neste país…)

Só neste país
É que se diz:
Só neste país
Só neste país
Só neste país
Só neste país
Só neste país

(…)

Portugal é nosso p’ro bem e p’ro mal

 

Sérgio Godinho

Agosto 28, 2010

Cavaco é candidato

Miguel Marujo

Foi hoje e ninguém tinha sido avisado: Cavaco Silva fez o seu anúncio de recandidatura a Belém. O formato foi original: seis páginas profusamente ilustradas sobre os "segredos das férias" do senhor e de sua senhora no Correio da Manhã. (E depois a notícia para acalmar católicos, da condecoração pelo Papa, no Expresso.)

Agosto 28, 2010

De um dia para o outro

Miguel Marujo

Diz Passos: «a revisão é um processo longo, porque mexer na lei fundamental não uma coisa que se faça de um dia para o outro, por isso é que não devemos perder muito tempo e quanto mais cedo começar melhor». Talvez seja isto que explique a verdadeira trapalhada que é o processo interno do PSD de discussão e propostas sobre a revisão. Não se faz de um dia para outro.

Agosto 27, 2010

Spin

Miguel Marujo

«Depois de um mês de silêncio, Paulo Portas vai voltar este fim-de-semana ao combate político [...]» (i)

 

«Depois de semanas de silêncio em torno da querela constitucional entre PS e PSD, o líder do CDS-PP vai apontar o dedo [...]» (Público)

 

«Após uma fase de distanciamento que permitiu a Paulo Portas analisar os discursos de “rentrée [...]» (JN)

 

- nas notícias sobre a rentrée do CDS.

Agosto 25, 2010

Pancada no pequeno

Miguel Marujo

«Sabem o que eu gostaria de ser? Um colunista de direita.

Se eu fosse um colunista de direita poderia comparar a minha ida ao Algarve para férias, — de avião, e em primeira classe — com o avanço do exército nazi pela Europa fora (o leitor que achar isto impossível faça o favor de ler a crónica de Vasco Pulido Valente de ontem).

Sendo um cronista de esquerda, não posso sequer comparar o salazarismo com o fascismo. Porém, se fosse um cronista de direita poderia defender que o salazarismo foi o primeiro construtor do estado social, um grande escolarizador e, se tivéssemos dado uma chance (mais outra) ao marcelismo, uma quase democracia civilizada. (O leitor que achar isto impossível faça o favor de ler o ensaio de Rui Ramos sobre Salazar no “Atual” do Expresso).

Sendo um cronista de esquerda, não tenho estas liberdades: devo até justificar-me por tudo e um par de botas, do PREC ao Guterrismo. Ora, se eu fosse um colunista de direita, teria o problema correspondente resolvido. Poderia simplesmente declarar que não existe nenhum partido de direita em Portugal, que o PSD e o CDS são na verdade socialistas, e que nenhum deles é digno das minhas extraordinárias ideias. (O leitor que achar isto impossível leia qualquer crónica de Henrique Raposo no Expresso).

Sabem o que eu não queria? Chatear-vos nas vossas férias, reais ou simplesmente imaginadas. Mas cá vai disto.

 

 

[crónica de Rui Tavares, no Público de segunda-feira]

Agosto 25, 2010

Esta perigosa esquerdalha

Miguel Marujo

«O governo alemão aprovou hoje uma proposta legislativa para a criação do polémico imposto sobre os lucros da banca, que vai servir para financiar o resgate do sistema financeiros numa possível crise financeira no futuro, disse uma fonte governamental.» [da Lusa]

Pág. 1/4