Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Fevereiro 28, 2010

Ao fundo

Miguel Marujo

Antes sorriam, acenavam, amontoavam-se atrás do homem ou da mulher ao centro. Agora, também podem sorrir, acenar e continuam a amontoar-se, mas invariavelmente estão ao telefone, a fazer de conta ou não, muito circunspectos. Nos directos das televisões, o país-nokia está sempre a dizer o óbvio: mãe, estou na TV.

Fevereiro 27, 2010

Ir à rua

Miguel Marujo

Vento moderado a forte (30 a 55 km/h) do quadrante sul, tornando-se gradualmente muito forte a excepcionalmente forte (60 a 80 km/h), com rajadas da ordem dos 130 km/h no litoral e nas terras altas. A partir do final da tarde, o vento diminuirá de intensidade rodando para oeste. Subida da temperatura máxima.

Fevereiro 26, 2010

Chuva-se

Miguel Marujo

Entra-se no autocarro 702, a Serafina no destino, sai-se antes, à Artilharia Um, para correr os últimos metros de guarda-chuva com o Corto Maltese recostado. A nossa aventura é ser salta-pocinhas nos passeios até que as Amoreiras nos abrigam - "Là où se trouvent plein de voleurs et des jolies femmes."

 

Fevereiro 26, 2010

Dias

Miguel Marujo

O homem distribui jornais, enquanto a mulher mendiga-se sem braço. Há o imigrante que sorri a sair do banco e os homens de fato e gravata que riem perante manchetes do quiosque ao lado. Em cinco metros de passeio, há um país que apenas parece ter uma coisa em comum: a chuva que fustiga os dias.

Fevereiro 25, 2010

O mundo nunca foi a preto e branco

Miguel Marujo

«[...] Se eu achar (e acho) que o Mário Crespo fez uma tristíssima figura na comissão de Ética, que o desonra a ele e ao jornalismo (eu estava lá e às tantas tive tanta vergonha que tive de sair), então sou pró-Sócrates; se eu achar (e acho, há muito tempo) que a Manuela Moura Guedes nunca fez jornalismo na vida, só política (e publicidade, uma vez), então ainda mais pró-Sócrates sou.

Mas se acrescentar que a ideia que tenho do Crespo e da MMG não legitimam nada dos que lhes aconteceu no JN ou no Jornal de Sexta, que é muitíssimo perigoso um primeiro-ministro que diz a um responsável de uma estação (Nuno Santos, da SIC) que um determinado jornalista (Crespo) e um comentador (Medina Carreira) são um "problema" que tem de ser "solucionado" - então aí já sou colocado no lado "justo" da guerra, dos que zelam 24 horas por dia pela liberdade de expressão. [...]»

 

João Pedro Henriques (no novíssimo e cheio de gajos bons e porreiros "A minha vida não é isto"), que podia servir para explicar as coisas a alguns comentadores desta casa.

Fevereiro 23, 2010

Às segundas

Miguel Marujo

Parece que meio País se entretém a ver Fátima Campos Ferreira num ringue em que nunca ninguém se entende. Nunca consigo ver. Prefiro Bones, em que se dissecam os ossos como deve ser.

Pág. 1/5