Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Abril 27, 2009

O futebol e as coincidências

Miguel Marujo

«Minuto 58 do FC Porto-Vitória de Setúbal. De uma assentada, Leandro Lima e Bruno Gama foram substituídos por dois colegas de equipa. Coincidência ou não, Leandro Lima e Bruno Gama, jogadores emprestados pelo FC Porto ao Setúbal, estavam a ser os dois jogadores mais perigosos dos sadinos. Coincidência ou não, o jogo que estava empatado ganhou outra vida quatro minutos depois com o primeiro de dois golos de Lisandro (2-0). O tiro no pé de Carlos Cardoso deu uma segunda vida ao campeão nacional.» [Público]

Abril 27, 2009

Onde é que tu estavas...?

Miguel Marujo


Paulo Rangel, do PSD, tem abusado do ataque ao passado dos candidatos à esquerda, sobretudo Vital, para lembrar que o hoje cabeça-de-lista socialista votou contra a adesão à CEE, em 1982. Na sede do PSD, imagina-se Zita Seabra a assobiar para o ar e Pacheco Pereira e Durão Barroso a mandarem dizer para o rapaz não se lembrar de atacar algum radicalismo vitalista nos idos do PREC. Não vá a História permitir comparações.

(na foto: o jovem Zé Manel, do MRPP)

 

 

[É outra curiosidade de Abril: os ex-qualquer coisa do PSD fizeram muito bem em "mudar"; aos do PS atira-se a pedra.]

Abril 26, 2009

Ventos

Miguel Marujo

Visto daqui de cima, há dois velhos turistas que enfrentam o vento que se levanta nesta Lisboa. Caras bem-dispostas, corpos curvados contra a deslocação do ar. Talvez não saibam que ontem se celebraram por aqui ventos de liberdade. Mas hoje, ali em baixo, ele bebem desses ventos de há 35 anos.

Abril 25, 2009

a cantiga é uma arma e eu não sabia

Miguel Marujo

GAC, A Cantiga É Uma Arma

 

a cantiga é uma arma
eu não sabia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria

há canta por interesse
há quem cante por cantar
há quem faça profissão
de combater a cantar
e há quem cante de pantufas
para não perder o lugar

a cantiga é uma arma
eu não sabia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria

O faduncho choradinho
de tabernas e salões
semeia só desalento
misticismo e ilusões
canto mole em letra dura
nunca fez revoluções

a cantiga é uma arma
(contra quem?)
Contra a burguesia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria

Se tu cantas a reboque
não vale a pena cantar
se vais à frente demais
bem te podes engasgar
a cantiga só é arma
quando a luta acompanhar

a cantiga é uma arma
contra a burguesia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria


Uma arma eficiente
fabricada com cuidado
deve ter um mecanismo
bem perfeito e oleado
e o canto com uma arma
deve ser bem fabricado


a cantiga é uma arma
(Contra quem camaradas?)
Contra a burguesia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
de pontaria

a cantiga é uma arma
contra a burguesia
tudo depende da bala
e da pontaria
tudo depende da raiva
e da alegria
a cantiga é uma arma
contra a burguesia

 

[obrigado à Maria João pela memória desta canção infantil]

Abril 25, 2009

Abril (curiosidades)

Miguel Marujo

Acho sempre curioso que se desdenhe do 25 de Abril para louvar o 25 de Novembro, como agora insiste uma certa direita. Esquecem-se que foi mesmo o 25 de Abril que acabou com a ditadura - fascista - e com a censura e com a pide e com os presos políticos e com a falta de liberdade.