Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Março 08, 2009

Dias todos

Miguel Marujo

Aqui postos em trabalho, só apetece deixar os pequenos prazeres que nos trazem Julie e Ethan, aqui no vídeo em baixo. Antes do anoitecer, antes do amanhecer? Dias inteiros.

Março 07, 2009

Relato do jogo

Miguel Marujo

«Peço ao colega João Moreira que comece o cordão humano em direcção ao Ministério. Aí está! Aí está! Está em marcha o segmento em direcção à 5 de Outubro!»


[voz de um sindicalista no cordão humano de professores, hoje, no Marquês, em Lisboa]

Março 07, 2009

Situacionar por aí

Miguel Marujo

Uma petição - que recolheu largas centenas de assinaturas - a favor de Marcelo na Europa, lançada por um blogger-psd, Vasco Campilho, mereceu notícia em vários jornais. Pacheco atirou-se (só) à notícia do DN - no seu índice de situacionismo. O Público, ontem e hoje, dá nota de um movimento "que engloba pessoas de várias áreas", liderado por um empresário, que quer despachar Sócrates. Ora: neste caso a relevância da coisa é própria de uma carta de um leitor a pedir a demissão do primeiro-ministro, mas aos caracteres dados pelo seu jornal, Pacheco nada aponta. Situacionismos.

Março 06, 2009

Gincana

Miguel Marujo

O jantar solitário e calórico joga-se na finta ao pacote de leite magro, enchendo a malga com o meio gordo, no drible ao special k quando ao lado sabem tão bem os corn flakes e no remate final com o açúcar, que o adoçante é coisa que se arruma num qualquer boião escondido.

Março 06, 2009

Será bruxedo?

Miguel Marujo

«O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, revelou hoje que o presidente da Volkswagen garantiu-lhe que o investimento para a construção de um novo veículo na Autoeuropa não ia ser posta em causa.» [da Lusa]


Se fosse o incontinente Pinho a falar, já estavam a atacar a sua precipitação num anúncio que pode não acontecer...

Março 06, 2009

Uniões de facto não são casamentos

Miguel Marujo

La Palisse não escreveria melhor título, passe a presunção. Note-se: sou a favor do casamento gay. Mas por isso mesmo não entendo que se dêem os mesmos direitos (apenas estes, nunca os deveres) às uniões de facto como se estas fossem casamentos. Quer dizer: volta e meia tenho amigos que dizem que não estão para se casarem, que ninguém tem nada a ver com isso. Mas depois trepam às paredes quando lhes dizem que, se assim é, não podem ter os mesmos direitos. Querem direitos? Casem-se* porra!

 

* heteros, homos, como quiserem, mas casem-se.