Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Outubro 07, 2008

O plano Paulson: How much is $700bn?

Miguel Marujo

«The arguments for a bailout to avoid systemic collapse are of course genuine and persuasive, but so are the arguments for aid and against standing by and allowing a child to die every 3 seconds, or a woman to die in childbirth every minute. To put the proposed Wall Street bailout into perspective. $700bn:

· Would clear the accumulated debt of the 49 poorest countries in the world ($375bn) twice over
· Is almost 5 times the annual amount of extra aid needed to achieve all the Millennium Development Goals on poverty, health, education etc ($150bn a year)
· Is about 7 years of current global aid levels ($104bn in 2007)
· Is enough to eradicate all world poverty for over two years (UNDP  calculates it would take $300bn to get the entire world population over the $1 a day poverty line).

On the other hand it’s
· only a quarter of the cost of the Iraq war ($3 trillion on Joseph Stiglitz’ calculation )
· a half of annual global military spending ($1339 bn)

Priorities, priorities»

 

Duncan Green

Head of Research for Oxfam GB and author of 'From Poverty to Power'

Outubro 06, 2008

Combustão

Miguel Marujo

O ACP descobriu aquilo que todos os portugueses automobilistas sabem: há concertação entre as petrolíferas, no preço dos combustíveis. A Autoridade da Concorrência tinha dito há uns tempos que não. Os portugueses de futuro pedirão estudos sobre electricidade, comunicações e outros alegados sectores livres ao ACP.

Outubro 05, 2008

Qual era mesmo o défice do Governo 2002-04? (ou não olhem para o que faço, mas só para o que digo)

Miguel Marujo

«O presidente da Comissão Europeia alertou hoje que a crise financeira não deve ser pretexto para que os Estados-membros da UE ultrapassem o limite de 3 por cento do PIB em matéria de défice orçamental. "A aplicação do Pacto de Estabilidade deve reflectir as circunstâncias excepcionais em que nos encontramos, como prevê aliás o próprio pacto. Mas isso não deve ser um pretexto ou uma desculpa geral para ultrapassar o limite de 3% do PIB em matéria de défice orçamental", afirmou José Manuel Barroso ao jornal francês Le Parisien.» [da Lusa]
 

Outubro 04, 2008

Santana

Miguel Marujo

O eventual sim de Santana a Ferreira Leite a Lisboa diz mais desta do que daquele. Ele nunca percebeu porque o escorraçámos nas eleições (e não Sampaio, como ele lacrimeja). Ela enche a boca com ética e fazer diferente, quando faz a velha política de sempre.

Outubro 03, 2008

Despojos

Miguel Marujo

 

foto MM, Set/08

 

 

A História está cheia de lições que os homens esquecem. Entra-se no War Remnants Museum - em vietnamita o Bảo tàng chứng tích chiến tranh - e somos provocados pela memória visual e de fragmentos de uma guerra aprendida no cinema. Há a declaração constitucional americana, à entrada da exposição, a lembrar que todos devem ser tratados de forma justa e como iguais, e o desenrolar de fotos e histórias e rostos e corpos que contam o contrário. Há um canto de horrores, mortos ou vivos, filhos de um agente laranja que ainda hoje marca ou mata. Uma máquina de propaganda, dirão os guerreiros mccains-pallianianos deste mundo, como se a guerra não falasse por si. Uma democracia é derrotada nesse instante: quando a ditadura eficazmente a ataca, pelos desmandos de uma guerra injustificada. Cá fora, nas ruas de Ho Chi Minh, Saigon que resiste na memória de tantos locais, os deficientes dessa guerra polvilham as ruas de mão estendida ao turista. A propaganda esquece-os. São os despojos.

Outubro 03, 2008

Não há jornalismo

Miguel Marujo

O nazi Mário Machado fala livremente (coisa que ele não aprecia que outros o possam fazer) aos jornalistas de micro estendido que não lhe perguntam o óbvio: ele não é condenado porque os pretos andam aos tiros, como afirma, ele é condenado porque violou as leis deste país, certo? Certo. Crimes graves. Ponto final.

Outubro 03, 2008

Há Justiça

Miguel Marujo

Por vezes, algumas vezes, a Justiça faz-nos acreditar: o nazi Mário Machado foi condenado por crimes vários (e não por alegadas ideias idiotas, velhas, ultrapassadas, como tantas vezes nos quis fazer crer). Quatro anos e dez meses. Muito bem.