Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Junho 23, 2008

Lutas

Miguel Marujo

O Zimbabwe não vive apenas numa ditadura ignóbil, que causa asco a cada sentença de Mugabe. Deve ser também o novo campo de luta pelos direitos humanos e pela democracia de quem é de esquerda.

Junho 23, 2008

Lá fora

Miguel Marujo

Este fim-de-semana saudámos o Verão na cidade, mas longe desta outra cidade. Aqui não ecoaram acontecimentos sensaborões, como os que se deram em Guimarães, nem se carpiram mais lágrimas por uma selecção que pouco as mereceu, nem se louvou esse futebol de magia escrito em russo. O Verão, esse, sente-se em cada poro da cidade e sabe bem.

Junho 19, 2008

Inchar

Miguel Marujo

Hoje vamos ficar inchados: marque Deco ou Nuno Gomes, Pepe ou Cristiano Ronaldo. Esqueceremos que, se fossem ilegais, Deco e Pepe teriam sido perseguidos e mesmo que descontassem para a Segurança Social só tinham como horizonte um campo de detenção temporária (que pode prolongar-se por meses e meses) para serem recambiados para a terra deles (é assim que se diz, quando se quer insultar, mesmo que esta terra seja efectivamente também deles).

Junho 18, 2008

Somos todos imigrantes

Miguel Marujo

[fotos de imigrantes chegados a Buenos Aires, entre finais do século XIX e inícios do século XX. Museu da Imigração de Buenos Aires, Argentina, foto MM, Dez. 2004]
 

O que aqui se vê são rostos de muitos europeus que chegavam à Argentina, então uma terra prometida. O único muro criado era uma quarentena, no Hotel de Inmigrantes, para se despistar eventuais doenças. Hoje, a Europa monta fortalezas apenas para repatriar quem antes os recebeu. Ingrata Europa.

Junho 18, 2008

Shame on you, Europa

Miguel Marujo

O Parlamento Europeu aprovou uma directiva vergonhosa, que maltrata e pode prender arbitrariamente os imigrantes (incluindo crianças). Os europeus têm uma memória curta. Esquecem-se de como partiram durante décadas e séculos para outras partes para ganharem a vida e hoje se encerram na sua fortaleza, sem cuidar de ajudar quem precisa.