Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Fevereiro 20, 2008

Uma certa direita

Miguel Marujo

Na blogosfera, uma certa direita muito intelectual e ciosa dos tempos difíceis que vivemos (mas que pactuou alegremente com o menino guerreiro) anda a tentar descobrir a identidade de alegados assessores de imprensa que têm blogues. Resolveram meter-se com um, Miguel Abrantes, que por ser muito crítico destas direitas e alinhar pelo discurso do PS-Governo (há quem o defenda, pois há, e não são só assessores, mesmo a avaliar pelas sondagens em queda) foi crucificado: aqui d'el rei D. Carlos que o homem é 30 assessores ao mesmo tempo, perigosos inflitrados a escreverem no seu blogue. Ora, o Miguel, conhece-o quem com ele fez o Sim no Referendo não é assessor. Mas nada como acusar sem provas, apontar o pelotão de fuzilamento, e depois assobiar a pedir-lhe provas. Esta certa direita não é inocente: vegeta nos blogues e tomou o poder no PSD-PP com Santana e Portas e deseja-o agora com Menezes (e há uns outros no PP). Mas bem sabemos, a liberdade de expressão está em perigo por causa de não sei quem e da lei do tabaco.
[ler também aqui]

Fevereiro 20, 2008

Megalomanias

Miguel Marujo

Fernando Negrão falou grosso, na SIC, sobre o chumbo do Tribunal de Contas ao empréstimo da Câmara de Lisboa. O pedido era megalómano, insistiu. O sr. Negrão, desaparecido há meses da CML e que é quem mais falta dos vereadores, resolveu dar um ar da graça, esquecendo-se que megalómano foi o PSD ao endividar-se como se endividou. E os lisboetas é que pagam a factura, mas a Negrão isso pouco importa.

Fevereiro 19, 2008

A culpa nunca é do chefe

Miguel Marujo

A Somague foi condenada em 600 mil euros por financiamento ilegal ao PSD. Vieira de Castro (ex-secretário-geral-adjunto do PSD) e Diogo Vaz Guedes (ex-CEO da Somague) também foram responsabilizados. José Luís Arnaut, ex-secretário-geral do partido, foi ilibado.

Fevereiro 19, 2008

País

Miguel Marujo

Há um certo País que acha que quando se fala de um País se está a centralizar tudo. Cai uma pinga em Lisboa e protesta-se porque o resto do País não quer saber. O País todo devia querer saber. Os erros daqui são os de todo o lado, como volta e meia as tragédias por todo o território o demonstram.

Fevereiro 18, 2008

Velhos trapos

Miguel Marujo

O anúncio passa no cinema do El Corte Inglés, numa sessão para maiores de 16. Há algumas pessoas mais velhas na sala. No ecrã vê-se uma senhora idosa a atravessar numa passadeira, com sinal verde, carregada com um saco de compras. O saco rompe-se e caem frutas e outras coisas. A senhora olha em volta a ver se alguém a ajuda, mas numa paragem de autocarro jovenzinhos de ar muito executivo, abrem de repente o jornal e fazem de conta que não é nada com eles. O anúncio termina com uma frase: Metro, o jornal mais lido em todo o mundo - ou coisa que o valha.

O jornal Metro tem a mania que se destina à "Sara, 28 anos, profissão liberal, solteira, que vive com gatos". Um jornal cool, para os metropolitans (o que quer que isto seja!), que se diz «líder absoluto com 774 mil leitores diários». Se as senhoras velhinhas, para quem os senhores do Metro escondem a cara, não lessem o Metro, o jornal não seria líder absoluto, nem de perto nem de longe. Nesse dia, talvez deixassem de fazer anúncios que são um vómito, com jovens idiotas e egoístas, mas que (alguém lhes diga!) também não lêem gratuitos, só vão a castings de anúncios.

Fevereiro 17, 2008

Este tempo cinzento

Miguel Marujo

«Orgulhoso, livre e independente». O Kosovo anunciou há minutos, assim, a sua independência. Orgulhoso também pode ser "altivo; soberbo; vaidoso; presunçoso".

Fevereiro 16, 2008

Balões

Miguel Marujo

A mulher levava seis balões amarelos no seu regaço. Fui a viagem toda a perguntar-me se vinha de ou iria para uma festa. Não o percebi, ela não deu pistas. Mas aquela carruagem do metro teve outra cor durante 20 minutos.

Fevereiro 14, 2008

Irmã Lúcia

Miguel Marujo

Não percebo porque Fátima é excepção nos exemplos de santidade a dar aos cristãos. Foi com Jacinta e Francisco, beatificados por sacrifícios que não se pedem às crianças; é com a Irmã Lúcia, que se antecipam os prazos, como com João Paulo II e a Madre Teresa. Mas, se a estes dois vejo obra que nos sirvam de exemplo, à pastorinha só se descobre uma vida de contemplação. Pouco, para tão grande excepção.