Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Outubro 31, 2007

Sounds like teen spirit

Miguel Marujo

Passo junto aos Salesianos com música de animação a altos berros, no intervalo das aulas. A escolha é uma poplada sem sabor e sal, longe dos Cure ou Jesus & Mary Chain que cultivávamos na nossa rádio para o corredor ouvir, dos anos 80. E não era preciso sermos urbano-depressivos. Mas o toque era outro, definitivamente.

Outubro 30, 2007

Exemplo II

Miguel Marujo

A SIC cita uma «notícia avançada hoje pela comunicação social britânica», que por acaso copiou despudoradamente a manchete do 24horas de ontem, que pelos vistos os senhores da informação da SIC não viram. Cegueira selectiva.

Outubro 29, 2007

Tablóides

Miguel Marujo

É engraçado: ler os tablóides ingleses a darem supostas lições de jornalismo e ética aos jornais e aos portugueses. Agora é o embaixador português em Inglaterra que é insultado, mas vai a ver-se e traduziram e deturparam as suas palavras. O interessante, no final, é ver os jornais ditos de referência a ignorarem à saciedade as notícias dos ditos tablóides portugueses e a citarem (as mesmas ou outras) dos ingleses.

Outubro 28, 2007

Dias longos

Miguel Marujo

Este dia demora uma hora mais. Rouba-se aqui, para perder depois no Verão. Depois fazemo-lo mais longo, com histórias que são de repente roubadas. Há ironias num calendário.

Outubro 26, 2007

Publicidade enganosa, ou a revista Kamsutra

Miguel Marujo

Livraria Bulhosa, Campo de Ourique, 14h30. A senhora idosa entra e pede ao balcão a revista Kamsutra.
Perante a resposta negativa, indigna-se: "Como é possível, já vim aqui várias vezes e não têm, mas a publicidade na televisão já dá há semanas."
Com a insistência da senhora, a empregada arrisca: "Só se for a Maxmen que traz o Kamasutra."
"- Sim, deve ser. É que eles dizem que faz bem à cabeça e eu ando há semanas com dores de cabeça."
A empregada duvida: "Mas esta revista não é..."
"- É, é, que eu vi na televisão. Pode abrir, para eu ver se vale para as minhas dores de cabeça..."
A rapariga suspira, entredentes: "Como é que vou explicar isto à senhora?..." E desembrulha a Maxmen e a Kamsutra. [Paguei e saí, a rir.]

Pág. 1/8