Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Setembro 25, 2007

Menezices

Miguel Marujo

Ouço o porta-voz de Menezes na SIC-N, a clamar pela "vergonha" e "falta de credibilidade" do PSD, e pergunto-me quem poderá confiar o país em gente assim. Não estarei sozinho nestas dúvidas.

Setembro 25, 2007

Iranices

Miguel Marujo

O reitor da Universidade de Columbia recebeu o presidente iraniano numa conferência, mas não teve pejo em o apelidar de "ditador mesquinho e cruel". Pela Europa, Angela Merkel recebeu o Dalai Lama, depois de Cavaco e Sócrates o terem ignorado, como líder político (que também o é), de uma causa que só merece simpatia por um povo que defendeu a independência de Timor-Leste.

Setembro 25, 2007

Bizantinices

Miguel Marujo

O blogue segue o seu curso. Só não seguiu antes porque aqui trabalha-se, não passamos horas nas caixas de comentários a insultar bizantinices ou a vomitar frustrações. Há vida para além dos blogues, mas há quem não a tenha.

Setembro 24, 2007

Comentários[peço desculpa pela interrupção, a emissão segue dentro de momentos]

Miguel Marujo

A blogosfera é uma coisa fantástica. Mas tem lixo, muito lixo. Uma senhora detestada em geral, Zazie de seu nome, resolveu conspurcar os meus blogues (até no E Deus que não a deve entusiasmar muito, e até no LxRepórter que fechei em Maio), sobre considerações à minha fé e à minha pessoa. Como não tenho tempo nem vida para andar a apagar estas coisas fechei temporariamente (para sempre?) qualquer comentário nos meus blogues. Quem perde são todos os outros leitores, mas a higiene manda-me fazer isto. Qualquer mensagem pertinente, podem fazer chegar-me por e-mail. Obrigado.

[actualizado, a 25/9: está activada a moderação dos comentários, para permitir que todos participem. Os comentários poderão demorar a aparecer, nada mais.]

Setembro 23, 2007

Trentinices

Miguel Marujo

Há sempre alguém a querer-nos impor uma versão única da Igreja, da nossa fé. Mesmo que esse alguém verta banalidades armadas em verdades, ou insultos travestidos de ciência. Nós passamos bem sem tanta certeza, porque a fé é da ordem da dúvida.