Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Março 19, 2006

Não deixes que a verdade estrague uma história

Miguel Marujo

Helena Matos é o novo ícone da direita. Ex-directora da Atlântico, colunista acidental no Público. Apresenta-se como «jornalista» e, por vezes, «historiadora». Desonesta, acrescento eu.

E exemplifico: no Blasfémias, novo poiso das suas verdades, escreve que «Mário Soares [se colocou ao lado d]os organizadores da manifestação que hoje [19 de Março] assinala 30 anos [d]o movimento de contestação à construção da central de Ferrel.» E acrescenta: «Para quem não se recordar Mário Soares era precisamente o primeiro-ministro do governo que há 30 anos apoiou a construção duma central nuclear em Ferrel.»

Recordemos então, com base em fontes e não em suposições, senhora Helena: «O I Governo Constitucional tomou posse a 23 de Julho de 1976, sendo constituído pelo Partido Socialista com base nos resultados das eleições de 25 de Abril de 1976. Terminou o seu mandato a 23 de Janeiro de 1978.» (in Portal do Governo, sublinhado nosso)

Antes do Governo de Mário Soares, governou Pinheiro de Azevedo, num executivo sem Mário Soares: «O VI Governo Provisório tomou posse a 19 de Setembro de 1975. Terminou o seu mandato a 23 de Julho de 1976.» (in Portal do Governo)

Quem é sério?
Caso para se dizer: não deixes que a verdade estrague a tua história.

[adenda: a senhora postou entretanto parte do programa do I Governo, onde se lê que o Governo vai lançar um programa nuclear; e impressiona-se: «Absolutamente imutável é a capacidade de Mário Soares não de mudar de opinião - coisa que me parece sinal de inteligência - mas sim de negar os seus póprios actos e palavras.» Ela própria nega o seu primeiro post com este segundo (afinal, o Governo de que ela fala, não foi o Governo contestado em Peniche), mas que importa? Mais: qual a contradição, depois de Chernobil, em não desejar uma bomba nuclear ao pé de nós? Ou ainda: porquê este súbito interesse jornaleiro-blogueiro-engenheiro-financeiro numa central nuclear experimental, que nenhum país europeu ousa instalar nas suas fronteiras? Quem paga quem? Quem é sério?]

Março 19, 2006

CPB*

Miguel Marujo

Este blogue tem quase três anos. Por esta altura, em França já teria sido despedido. E andaria à procura do segundo emprego. Ou melhor: de um primeiro emprego, por mais dois anos. Até novo despedimento e novo blogue. Pensando bem: há bloguistas e blogues portugueses que há muito aplicam esta regra eutanásica à sua casa. Liberais, é o que é.

[* - contrato primeiro blogue]