Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Setembro 16, 2005

O aperto

Miguel Marujo

Carrilho não apertou a mão. Carmona diz que o outro é um grande ordinário. Lisboa merece mais, mesmo! Não mais do mesmo. Felizmente (estou convencido) estarei de férias — longe do país — quando forem as eleições.

Já agora: podiam antecipar o referendo sobre o aborto para Outubro... Evitava ouvir os dislates pró e contra.

Setembro 15, 2005

Deus escreve

Miguel Marujo

Ele não tem "nenhum pretexto para dar o link de novo, é só porque sim". Nós não precisamos de pretextos para ir visitando essa nossa outra casa — é só porque sim. Mas o melhor desse blogue de contemplação é a fotografia que alguns leitores lhe tiram, como este brasileiro: "E Deus Criou a Mulher - que bela forma de começar o dia. Deu até vontade de brigar com os tradutores da Bíblia: Em verdade, em verdade, Deus escreve certo por linhas curvas!"

Setembro 14, 2005

Serviços mínimos

Miguel Marujo

Já devem ter reparado: este blogue vai navegando em ritmo mais pausado, ao sabor de uns dias mais complicados. As contradições explicam-se assim. Têm muitas casas onde aportar, por estes dias. Espreitem a coluna de links.

Setembro 13, 2005

En portugués, por supuesto

Miguel Marujo

El partido del pequeño líder, conocido por empezar sus frases con una citación de un poeta genial — ganda nóia —, todavía quiere defender la lengua y la cultura lusas contra la tomada del poder de una televisión por el grupo Prisa. Sobre el nuevo año escolar, nada se escuchou de su boca.

Setembro 10, 2005

Nova Orleães, Portugal

Miguel Marujo

Fosse Nova Orleães uma cidade do Litoral português (ou num qualquer recanto da União Europeia) e já a nossa alegre direita teria decretado a falência do Estado Providência, da Europa, da Segurança Social, do rendimento mínimo garantido. Como foi ali, no Sul dos Estados Unidos, esses senhores insistem na culpa de todos, de preferência pretos, de deus, de alá, mas nunca do Estado-que-não-intervém e muito menos de Bush. Já conhecemos a lenga-lenga.

[ver também este post]

Setembro 10, 2005

Jornalistas, esses anti-americanos

Miguel Marujo

«Katrina, Tratados como animais»
Apresentado as vítimas como refugiados, fizeram deles estranhos indignos de socorro.

«Os brancos não vivem em Nova Orleães»
Há muito que os negros eram os únicos habitantes das zonas mais vulneráveis da cidade. Além disso, 35 por cento da população negra não tinha automóvel para poder fugir do Katrina.

«George W., incapaz e insensível».
Quando milhares dos seus concidadãos sofriam e morriam diante das câmaras, Bush esteve abbaixo de tudo.

«O Estado é a civilização!»
O caos que se espalhou em Nova Orleães relançou o debate sobre a importância do Estado.

«Onde está a segurança interna?»
Se Nova Orleães tivesse sido atingida por terroristas, as autoridades também não teriam sido capazes de organizar as acções de socorro. Triste lição, quatro anos após o 11 de Setembro.

Acalme-se Pacheco Pereira. Os títulos e entradas que se reproduzem não são da perigosa e anti-americana imprensa portuguesa. São artigos, reproduzidos no Courrier desta semana, com origem nas publicações americanas The Lexigton Herald Leader, The New York Times, Salon, Slate. Tudo gente primária, já se sabe.