Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Fevereiro 15, 2005

O grau zero do comentário

Miguel Marujo

Dizem-nos, na televisão: Jerónimo Sousa ganhou - por não falar, de tão afónico estava. Mais valia estarem calados. Afinal, antes atacavam Sócrates por (supostamente) não falar. Não há quem possa calar estes comentadores? Ou pedir-lhes que fiquem afónicos?

Fevereiro 15, 2005

O eleitor vítima do sistema

Miguel Marujo

O Zé recebeu uma carta em casa. Vinha num envelope sem qualquer logotipo enviada por INFOMAIL e que apenas dizia "SE NÃO COSTUMA VOTAR, LEIA ESTA CARTA." A carta propriamente dita também não tem qualquer logo e apenas no final identifica o remetente, com uma daquelas assinaturas digitais.

Eis o conteúdo:


Caro(a) Amigo(a),

Não pare de ler esta carta.

Se o fizer, fará o mesmo que o Presidente da República fez a Portugal, ao interromper um conjunto de medidas que beneficiavam os portugueses e as portuguesas.

Portugal precisa do seu voto para fazer justiça.

Só com o seu voto será possível prosseguir as políticas que favorecem os que menos ganham e que exigem mais dos que mais têm e mais recebem.

Você não costuma votar, e não é por acaso.

Afastou-se pelas mesmas razões que eles nos querem afastar.

E quem são eles?

Alguns poderosos a quem interessa que tudo fique na mesma.

Incluindo a velha maneira de fazer política.

Eles acham que eu sou de fora do sistema que eles querem manter. Já pensou bem nisso?

Provavelmente nós temos algo em comum: não nos damos bem com este sistema.

Tenho defeitos como todos os seres humanos, mas conhece algum político em Portugal que eles tratem tão mal como a mim?

Também o tratam mal a si. Já somos vários.

Ajude-me a fazer-lhes frente.

Desta vez, venha votar. É um favor que lhe peço!

Por todos nós,

Pedro Santana Lopes

Fevereiro 15, 2005

Lutos

Miguel Marujo

Hoje é dia de luto nacional, naquele dia não foi! Não houve eleições!

Tive amigos que morriam, amigos que partiam
Outros quebravam o seu rosto contra o tempo.
Odiei o que era fácil
Procurei-te na luz, no mar, no vento.


SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN

Fevereiro 15, 2005

A palavra, de acordo com a direita...

Miguel Marujo

...tem de estar entregue à direita - a «verdade» é a deles, a «competência» é a sua. Por isso, Louçã disparatou e eles dispararam para o fuzilamento mediático, sem cuidar que há anos alimentam a fogueira da violência irracional e demagógica. Agora, Portas falou no aborto como uma pena de morte e ao disparate não se conheceu igual fuzilamento mediático, que era merecido - safou-se com a morte de Lúcia e com o seu ar compungido saiu de cena.
Também, com Lúcia, os bispos falaram e logo a direita disparou. Se fosse um bispo a disparatar contra a esquerda, aplaudiriam de pé. Como dois homens da Igreja falam de outro modo (pode lá ser? nós os únicos democratas-cristãos!), eles fuzilam de novo, e aguardam que os outros bispos - os verdadeiros, de acordo com a palavra da direita - «desvalorize estas declarações despropositadas». Os acidentais devem estar todos de luto, claro está.