Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Novembro 20, 2004

Guia não turístico da Costa do Marfim

Miguel Marujo

src=http://mywebpage.netscape.com/cibertulia/Picture+209.jpg>


Chega à blogosfera José Luís Peixoto, pela mão de José Mário Silva. E com um belo texto sobre a Costa do Marfim. Um país estranho que se me entranhou em 1995, numa visita pouco turística a um destino nada turístico. Das ruas da capital Yamoussoukro, erigida em louvor de um homem, Félix Houphouët-Boigny*, que se imaginava na enorme basílica local («igual à de São Pedro») como o discípulo dilecto de Jesus, em vitral abençoado por João Paulo II. Os dois (Papa e Presidente) concorriam em quantidade de ruas e praças e monumentos em seu nome.



size=-2>* - FH-B é o homem negro que se vê ajoelhado logo abaixo da figura de Jesus.


Naquele espaço imenso, de avenidas largas e vazias, circulava-se em táxis que davam boleia a outros passageiros, e pernoitava-se num campus universitário moderno, mas em decadência, por uma greve de estudantes que então se prolongava há meses.

Na cidade de Bouaké, em catedral mais modesta e acanhada, à missa ajudavam zelosos vigilantes de quem adormecia sob o sol tropical, enquanto que por perto se passeavam macacos no mercado - antes de saltarem para o tacho. Nesta cidade, uma jovem cega reconhece-me português, por causa da «Lindá de Suzá» que ecoava na onda curta. De Abidjan, a capital económica do país, recordo uma visita intempestiva e pouco consciente a um mercado.


Levava comigo duas advertências. Evitar gelados de água, vendidos ao acaso nas ruas. E que devia sentir o cheiro de uma terra única. Embrenhei-me neste, aceitei aqueles.

Hoje, não poderei voltar a propor-me uma viagem daquelas. Há «sangue. Vermelho, limpo, humano» pelas ruas.

Gostava muito de ter notícias do Lazare.

Novembro 20, 2004

Veto tardio

Miguel Marujo

O veto de Sampaio à central de comunicação é tardio. É um assomo de independência e existência de um Presidente da República que já não é tido nem achado, pela oposição, pelo Governo e, mais ainda, por quem o elegeu. Ora, um "chumbo" destes, não é um veto: é Sampaio a lembrar que existe, desterrado em Belém.

Novembro 18, 2004

Esquizofrenia

Miguel Marujo

Paulo Portas foi vaiado, criticado, vilipendiado, rejeitado no fim-de-semana no Congresso do PSD. A esta hora, os deputados do PSD aplaudem o líder do CDS-PP na defesa do Orçamento «imaginativo» do Governo.