Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Janeiro 30, 2004

Idiota salgado

Miguel Marujo

Há um blogue que tem um bonito nome - Mar Salgado. Mas tem um senhor (não é marinheiro, certamente) que adorava ver Oliveira Salazar a governar-nos. É outro inimputável, claro. Mas quem o criticar é que leva com um processo em cima. Valha-nos a resposta de Ana Sá Lopes. Por que há quem não esquece.

Janeiro 30, 2004

Inimputável

Miguel Marujo

Sim, Celeste Cardona é inimputável, como disse Louçã. Os senhores do CDS-PP podem processar-me que eu não preciso de levantar qualquer imunidade parlamentar. Mais: é inimputável a senhora e hipócritas os seus comparsas que desviam a atenção de assuntos sérios com bocas idiotas.

Janeiro 30, 2004

Estes jornalistas

Miguel Marujo

Durão anunciou aumentos para 2005 (na linha das suas promessas anteriores). A maldosa da jornalista da SIC Notícias disse que essa medida aconteceria no ano anterior às eleições legislativas. Tsss, tsss. Estes jornalistas, lembram-se de cada uma!

Janeiro 30, 2004

M-R-pum-pum

Miguel Marujo

«Já o líder parlamentar do CDS/PP, Telmo Correia, apoiando o governo, acentuou: "O PS só se anima com o PREC, nunca com o PEC". Não haverá confusão? Isso era o Camarada Zé Manel do MRPP.»



[um leitor do PortugalDiário, a comentar o debate mensal na Assembleia da República]

Janeiro 29, 2004

O escrutínio do Público

Miguel Marujo

Diz José Manuel Fernandes no título do seu (previsível) editorial de hoje no Público, depois de divulgado o relatório Hutton: «Enganos Não São Mentiras». Não, não são enganos, caro JMF. São grosseiras mentiras. Ou não se recorda que Bush e Blair nos prometeram armas de destruição maciça para começar uma guerra que, ela sim, é uma arma de destruição lenta? E que o nosso primeiro-ministro (a despropósito: para quando um editorial escrito por si a criticar tão veementemente o Governo de Durão como fez em relação ao ex-governador da Califórnia?) disse ter visto provas de coisas que não existem?

Mais: o próprio JMF está a sacudir água do capote. O "seu" Público escreveu muitas vezes sobre a iminente descoberta de armas de destruição em massa. Onde estão elas?, pergunto.



A resposta pode ser dada por Hutton:

«(...) os responsáveis de editores tinham obrigação de averiguar a sua veracidade".

· "O sistema editorial (...) falhou".

· "(...) não [averiguou] apropriadamente as [afirmações de Durão] (...)».

Janeiro 29, 2004

Novo exercício de memória

Miguel Marujo

O cabeça-de-lista da lista conjunta do PSD e PP às eleições europeias será anunciado em Março. Lembro-me de, nas anteriores eleições europeias, o Nuno e o Zé terem ficado entusiasmados com a escolha de Pacheco Pereira (e também com Vasco Graça Moura). E zurziam na escolha do PS: Mário Soares. Entre outros motivos, havia sempre um à cabeça: o "bochechas" abandonaria Estrasburgo nos primeiros meses e assim se enganaria o eleitorado. Na imprensa, a generalidade dos "opinion makers" alinhavam pelo mesmo argumentário.



No momento em que se aproximam novas eleições europeias, é interessante constatar:

- Mário Soares abandonará o Parlamento Europeu ao mesmo tempo que Pacheco Pereira e (quase de certeza) Vasco Graça Moura.

- Duvido que o próximo nome venha a entusiasmar... Afinal, o Pequeno Partido (anti-federalista) imporá certamente uma agenda ao PSD. Essa agenda terá nome, sem rasgo nem rebeldia, como é o denominador comum entre a linha europeia dos dois partidos.

Janeiro 29, 2004

A culpa é do macaco!

Miguel Marujo

«Os alunos do 9º ano que em Maio de 2002 fizeram provas de aferição tiveram médias negativas a Português e Matemática, tal como os do 6º ano nesta última disciplina, revela hoje o Público. O ministro da Educação, David Justino, já justificou estes resultados afirmando que «a culpa é do antigo Governo socialista». «São dados que revelam o descalabro do antigo Governo», disse à TSF. David Justino afirmou ainda que a culpa não era das escolas ou dos alunos mas sim do Ensino Educativo. «É necessário uma remodelação dos conteúdos e dos programas», avançou.» [in PortugalDiário].



Exercício de memória: este senhor ministro, que se esqueceu de declarar uns dinheiritos, esquece-se também de algumas coisas essenciais sobre "isto" dos «conteúdos e dos programas»: que, quando da intenção dos governos PS mudarem o programa de Português (empurrando Camões do 9º ano para o ensino secundário), gritou-se "aqui d'el-rei" que querem afogar o poeta. David Justino e Vasco Graça Moura foram os porta-vozes contra o crime de lesa literatura. Postos em sossego no poder, Justino "cortou" ainda mais do programa curricular o senhor Luís Vaz e Graça Moura escrevinhou sobre ser Pipi ou nem por isso. E não houve sobressalto cívico algum. E o Big Brother num livro escolar também deve ter sido opção pessoal de António Guterres e dos seus ministros da Educação, (os muito suspeitos) Marçal Grilo, Augusto Santos Silva e Guilherme d'Oliveira Martins. Haja memória.

Janeiro 28, 2004

No jardim da Celeste (II)

Miguel Marujo

«Fui ao jardim da Celeste,

giroflé, giroflá,

fui ao jardim da Celeste,

giroflé, flé, flá.



O que foste lá fazer?

giroflé, giroflá,

O que foste lá fazer?

giroflé, flé, flá.



Fui lá buscar uns descontos,

giroflé, giroflá,

Fui lá buscar uns descontos,

giroflé, flé, flá.



P’ra quem é esse dinheiro,

giroflé, giroflá,

P’ra quem é esse dinheiro,

giroflé, flé, flá.



É p’ra a menina Manela,

giroflé, giroflá,

É p’ra a menina Manela,

giroflé, flé, flá.



Mas isso não é legal,

giroflé, giroflá,

Mas isso não é legal,

giroflé, flé, flá.



A lei não é para o Estado,

giroflé, giroflá,

A lei é só para os tansos,

giroflé, flé, flá.»



Parabéns, Daniel, por esta versão do «Jardim da Celeste».

Pág. 1/10