Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Outubro 08, 2003

Só mais esta

Miguel Marujo

Peço licença a Joel Neto e cito-o na íntegra:



«Prisão preventiva



Na Suécia, o Ministério Público teve de fazer um pedido especial de quinze para deduzir a acusação ao (primeiro) alegado assassino da ministra dos Negócios Estrangeiros. Ao fim de uma semana, o sistema disse: ou há acusação ou o cidadão tem de ser libertado. A Suécia é um país onde dois governantes foram assassinados nos últimos 20 anos e onde as câmaras do centro comercial em que Anna Lindh foi morta estavam desligadas na altura. Mas é também um país que percebe os limites da prisão preventiva.

Paulo Pedroso, solto hoje, já devia ter sido solto há mais tempo. De todos os seis arguidos detidos preventivamente, apenas Carlos Silvino tem acusação deduzida - só ele poderia estar ainda preso. Quanto aos restantes, e no que diz respeito ao sistema, duas coisas deveriam acontecer: que fossem de facto culpados (será grave de mais se algum deles for inocente); e que fossem libertados de imediato, até que lhes fosse formada a culpa (esta prisão preventiva é terceiro-mundista).

Sim, há crise da Justiça em Portugal. E essa não é uma constatação de esquerda nem de direita, não é pró-PS nem pró-Paulo Portas, não é securitária nem libertária - é uma questão de Direito. Uma questão de desprespeito do Direito, isto é.
»

Outubro 08, 2003

Fez-se justiça!

Miguel Marujo

É verdade, fez-se justiça. Não porque Paulo Pedroso tenha sido libertado, mas sim porque estava preso sem conhecer os fundamentos dessa medida. Agora, sim: pode fazer-se justiça, nos locais adequados - nos tribunais, e não na praça pública.

Outubro 08, 2003

Um "post" à Eduardo Prado Coelho

Miguel Marujo

Podia-se temer que a mais recente telenovela da Globo, exibida na SIC, tivesse um ar levemente oficioso. Afinal de contas, sempre é uma novela da maior embaixadora da Cultura do Brasil que está em exibição. Mas esse risco desvaneceu-se por completo desde a primeira entrada em cena. Eu sei que alguns consideram que eu ver e analisar telenovelas é uma extravagância. Mas arrisco. Ajudam-me a perscrutar sinais, como aquele que nos transmite um mil-folhas comido por Manuel Maria Carrilho em vésperas de demissão (nada que se compare com esta nova mentalidade durí­stica que prolonga as remodelações fazendo perigar a qualidade dos bolos e azedando as necessidades da sua equipa).



Donde ser fácil admitir que vejo «Mulheres Apaixonadas». Os seus episódios são calorosos, entusiásticos, desburocratizados, marcados por uma certa obsessão da identidade sul-americana, mas também abertos ao mundo e à modernidade. E podemos ainda ser sensí­veis à forma progressista de incorporar essa energia vital. Afinal está lá tudo: cancro da mama, aborto, violência doméstica, violência nas ruas, uso de armas, homossexualidade (lésbicas, malgré tout), conflito de gerações e relações entre maiores-menores... Todo um programa, como diria Pacheco Pereira. Abruptamente, em frente de uma bola de creme.



[Texto inspirado na crónica de hoje de EPC no Público.]

Outubro 08, 2003

Viva a República!

Miguel Marujo

Um prí­ncipe holandês quer casar com uma senhora que, para além de ser do povo, parece que - antes de se meter em "namoros reais" - andou enrolada com outros homens e, entre estes, um que não seria uma companhia muito recomendável (parece que o rapaz é suspeito de tráfico de droga e assassí­nio).

Perante estes "factos", noticia ontem o Público (a notí­cia não está "online"), a jovem da plebe defendeu-se dizendo que só tinha dormido no iate do tipo, sem manter relações com o dito. Entretanto, o Parlamento holandês vai discutir se o jovem prí­ncipe deve casar ou não...



Os dois nubentes não se pronunciaram sobre se eles querem casar ou não.

Outubro 07, 2003

20 bons jogos

Miguel Marujo

Da Lusa: «O central Fernando Couto, que deverá cumprir sábado a 100ª internacionalização "AA", apenas falhou 20 encontros desde que começou a jogar com regularidade (1991/92) na selecção portuguesa de futebol e na sua ausência... Portugal nunca perdeu.»



Portanto: dispense-se o suplente da Lázio e os seus préstimos caceteiros.

Outubro 07, 2003

As propinas (segundo um perigoso "estatista")

Miguel Marujo

Duas afirmações:

- «Mais do que saber quanto pagar ou como pagar, está em causa saber que tipo de ensino queremos pagar.»

- «Esta é uma má lei do financiamento: aumenta a responsabilização financeira das famílias e diminui a justiça social; faz das propinas a prioridade educativa.»



Declaração de voto de Jorge Moreira da Silva, novo secretário de Estado do Ensino Superior, ao votar contra a lei de financiamento do ensino superior público, de Marçal Grilo, no Governo de António Guterres, em 1997.

Outubro 07, 2003

Eu não quero que só eles "sejam" Igreja

Miguel Marujo

«Prós e contras» sobre João Paulo II. Do lado dos "prós": Bagão Félix, Maria José Nogueira Pinto e Victor Feytor Pinto. Do lado dos "contras": António Arnaut, Clara Pinto Correia e Eduardo Prado Coelho.

Mas o mundo é todo a preto e branco? E que Igreja representam os senhores dos "prós"?

(Recuso-me a falar de quem esteve "contra", sem viver o dia-a-dia das dúvidas e das incertezas, quem aprecia de "fora" e se acha no direito de perorar sobre o que se experimenta "dentro", sem questionar quem está dentro...)

Outubro 07, 2003

A Europa pode começar aqui - e o país também

Miguel Marujo

Um novo blogue, escrito a três mãos (e uma delas é a de Joel Neto), apresenta-se como o «rosto com que a Europa fita... é Portugal. E o rosto com que Portugal fita a Europa, é qual?». Para quem gosta de reflectir estas coisas, vale a pena a viagem.



Outra viagem que pode provocar estragos no modo como olhamos o país é-nos proposta por Pedro Almeida Vieira, dos jornalistas que mais insiste num outro ambiente para Portugal!