Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Agosto 13, 2003

O Titanic dos Sistemas Operativos.

Miguel Marujo

Eis um texto que me chegou de um colega e que achei engraçado, em termos de cultura geral de Informática e cultura particular dos Estados Unidos.



Primeiro que tudo uma ligeira contextualização de siglas. O Santa Cruz Operations (SCO) é um sistema operativo (SO) baseado no Unix e de divulgação bastante generalizada na década passada. Entretanto nos tempos que correm ninguém está disposto a pagar licenças de SCO quando existe um outro Sistema Operativo Unix, o Linux, que faz o mesmo, ou mais, de graça. Tudo isto percebeu a IBM cuja estratégia tem sido a de se colar ao Linux. A RedHat e a SuSe são empresas que comercializam "pré-instalações" de Linux, e não licenças, ou seja pagam-se apenas das configurações particulares que fazem do Linux.

E posto isto vamos ao texto do meu colega.



"Como alguns sabem, a SCO decidiu que o Linux é um SO 'fora-da-lei' e lembrou-se de processar a IBM. A IBM entretanto iniciou um processo contra a SCO, cujo exemplo foi seguido pela RedHat e SuSe.



Bem, o que acontece é que o actual quadro de directores da SCO é formado por 'litigadores profissionais' (não, não tem gestores de mérito) e o actual presidente tem no seu currículo o facto de ter processado a sua anterior entidade empregadora (e ter ganho, ainda por cima).



O argumento da SCO é o mesmo que a 'antiga' SCO usou contra o UNIX BSD ( a 'nova' SCO é na realidade, a Caldera com um novo nome) e que se virou contra eles. De facto, a SCO alega que existe código fonte no Linux roubado ao System V e aos UNIXes SCO - mas suspeita-se que, tal como sucedeu com a história do BSD, o código foi tirado por 'empréstimo' pela SCO da fonte do Linux.



Resumidamente: a SCO processa tudo e todos (até empresas que fabricam microcontroladores para utilizar em VCRs e automatismos suportados sobre Linux estão na mira) - estes, por sua vez, processam a SCO. A SCO exige licenças aos utilizadores de Linux, por servidor e/ou posto de trabalho cujo valor ascende aos $600 (até Outubro, quando passará aos $1500) e que na realidade são licenças de UnixWare...



E, seria de esperar que os 'litigadores profissionais' que mandam na SCO (cuja sede é num piso de um edfício de escritórios que nem lhes pertence) estivessem confiantes na vitória, certo ?



Expliquem isto:

"According to the Salt Lake Tribune, 'SCO Group executives have sold about 119,000 shares of their company since it filed a lawsuit against IBM in March...' Their CFO started the $1.2 million sell-off just after the lawsuit."



Quando o barco afunda, os ratos são os primeiros a saltar...



--Tiago"



Espero não ter sido maçador.



Outra coisa:

Sempre fui do Benfica, desde pequenino, e os Romanos são doidos.

VIVA O BENFICA.