Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Dezembro 14, 2013

Os empregos que já criei

Miguel Marujo

Volta e meia, também vêm aqui perguntar-me, quantos empregos já criei - quando zurzo em maus empresários e péssimos gestores que temos. Sem grande paciência, costumo responder que se este fosse um país de empreendedores ou empresários por conta própria não haveria quem pudesse ser trabalhador por conta de outrém.

O Daniel Oliveira, no Expresso, acrescentou mais alguns argumentos óbvios. Que replico aqui para aqueles que estão sempre muito preocupados com os empregos que (dizem) não criei... «Resumindo: eu, como qualquer pessoa que produz e consome bens materiais ou imateriais, crio empregos. Nem mais nem menos do que qualquer empresário. Um empresário que cria empregos onde não há nem quem consuma o que pode ser produzido, nem quem produza o que pode ser consumido, rapidamente os descria. Falindo. Isto é tão básico, até para o mais empedernido dos liberais, que nem sequer deveria ser explicado. Só que o atual fascínio por empresários, vistos como oráculos da Nação e santos criadores de empregos, obriga-nos a voltar ao princípio.»

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.