Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


De como o Álvaro deixou de andar de metro

por Miguel Marujo, em 17.08.13

 

É sábado de manhã e na estação da Baixa-Chiado, em Lisboa, o tempo de espera pelo próximo metro é de pelo menos 10 minutos. Chegados a Santa Apolónia, o tempo de passagem do 728 pode chegar aos 30 minutos – é um autocarro que vai do Restelo à Portela, passando por Belém, Santos, Cais do Sodré, Terreiro do Paço, Xabregas e Parque das Nações. Este roteiro explica o grande número de turistas (e sim, Xabregas é destino muito procurado, ou não fosse lá o Museu do Azulejo).

 

Repito: sábado de manhã. Mas os tempos de espera também podem chegar aos 25/30 minutos durante a semana. E na estação do Marquês, linha azul, pode esperar-se pelas três (em vez de seis) carruagens seguintes pelo menos uns 8 minutos, às 20h30 de um dia de semana – e o cenário repete-se duas estações depois, no Saldanha, na linha vermelha. Com as mesmas três carruagens, para os turistas poderem experimentar o que é a sardinha em lata. Pelos vistos, para a administração do Metropolitano de Lisboa, 20h30 é uma hora tardia que não merece maior frequência na passagem de comboios nem mais composições.

 

Estes pequenos exemplos replicam-se noutras coisas: no metropolitano, há escadas rolantes sistematicamente avariadas (naquele sábado, era ver turistas a carregarem pesadas malas, em dois lanços de escadas da Baixo-Chiado); há elevadores continuamente fora de serviço (experimente-se o da estação do Rato, sistematicamente indisponível); muitos postos de atendimento estão fechados. Os autocarros andam cheios fora da hora de ponta, não vá algum passageiro ficar mal habituado e achar normal encontrar lugar sentado. Há turistas que suspiram. Uma amiga diz-me de Londres de como uma cidade que aposta no turismo dá emprego a muita gente. Apostar no turismo é também apostar na qualidade dos serviços oferecidos.

 

Apesar disto, pagamos mais e mais. Entrar no autocarro e validar o cartão custa 1,25 euros – eram 90 cêntimos a.T., antes da Troika, a 1 de janeiro de 2011. Se não se tiver bilhete, paga-se ao motorista 1,80 (a tarifa de bordo era 1,50 no início de 2011). Mais: ao fim de um ano, qualquer cartão Viva Viagem termina a sua validade. Mesmo que esteja em perfeitas condições e a uso. Para o trocar e manter os títulos que tem no cartão, é necessário ir a um “posto de atendimento” e pagar mais 50 cêntimos (100 escudos!) pelo novo cartão.

 

Álvaro Santos Pereira, o ministro que veio de Vancouver e enchia a boca nas primeiras semanas de que usava o metro (ficava bem para o boneco) como meio de transporte, não aprendeu nada nos anos em que viveu no Canadá. A aposta nos transportes públicos é a pedra de toque de qualquer política sustentável de um país. E o famigerado memorando da troika não é desculpa para tamanha degradação de serviços e oferta. O único aumento que ali explicitamente se referia era no “sector ferroviário” (“em particular aumentando os preços dos bilhetes”, lê-se, num documento que também parecia conhecer muito mal os transportes).

 

Nas últimas semanas, correu mundo uma foto de uma manifestante no Brasil. “País civilizado não é aquele em que o pobre anda de carro, é aquele em que o rico usa o transporte público.” Álvaro veio de um país civilizado para dar cabo do pouco que começava a haver de civilização. Pode sempre voltar para lá, nós ficamos com este pastel de nada.

 

[originalmente publicado no Dinheiro Vivo - foto MM, ago/13]

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





Seguir

foto do autor


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D


Links

KO! [EM DESTAQUE]

  •  
  • OS QUE LINKAM A...

  •  
  • MUITO CÁ DE TODOS OS DIAS

  •  
  • CÁ DA CASA TUDO PARADO

  •  
  • MUITO CÁ DO PRÉDIO

  •  
  • MUITO CÁ DO BAIRRO

  •  
  • ESPECIALISTAS [CINEMÚSICA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [COMUNICAÇÃO]

  •  
  • ESPECIALISTAS [ESCRITA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [HISTÓRIA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [FOTOGRAFIA+ILUSTRAÇÃO]

  •  
  • ESPECIALISTAS [IGREJA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [HUMOR]

  •  
  • ESPECIALISTAS [SABERES]

  •  
  • PARA DESCOBRIR

  •  
  • FORA DOS BLOGUES