Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Junho 17, 2013

In memoriam

Miguel Marujo

João Pinto e Castro era um economista com quem me cruzei primeiro nos blogues e a quem passei (sinal dos tempos) a prestar depois atenção nos jornais. Era daqueles que valia a pena ler, com textos fundamentados. Mesmo quando assinava de forma contida. Morreu este fim de semana, vi no Público, só depois no também seu Jugular. O melhor elogio que se lhe pode fazer é reproduzir o epitáfio que assinou em abril a políticas que corroem o melhor deste país - e dos outros.


Thatcher foi caso único de taxista a quem foi dada a possibilidade de efectivamente governar um país.

Uma experiência admirável com impacto duradouro na humilhação dos necessitados, concentração de recursos numa ínfima parte da população, degradação de serviços públicos, desregulação do sistema financeiro, instabilidade económica, aventureirismo militarista, injustiça cega e alastramento das desigualdades.