Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Setembro 07, 2012

Estados relativos das coisas

Miguel Marujo

Em férias, chegam ecos difusos do que acontece (porque os jornais entram mas a sua leitura é mais solta) e por aí a indignação com este estados de relativismo das coisas se esvai nas ondas do mar. Mas choca-nos este relvado imenso que se estende a uma clique angolana por interpostos testas de ferro que fazem a ponte ou empresas que são vendidas porque a profissão mais velha do mundo não larga os negócios deste Estado.

Choca-nos a relativização da segregação social que se quer impor logo nos primeiros anos de escolaridade com a desculpa de uma maior justiça social.

Choca-nos o passa-culpas entre irresponsáveis que insistem que mandam na Europa e neste país, sem que tenham mandato pelo povo.

Choca-nos que se venda tudo sem qualquer justificação só porque se acha que estão mandatados pelo povo (omitindo as mentiras que já sancionaram depois desse mandato).

Choca-nos que, para os que nada podem fazer, a mão é sempre pesada, e que para os de sempre haja fundos e mundos.

As férias só diluem a nossa passagem por aqui porque, de resto, não calam a nossa indignação perante os atropelos à vida que todos os dias os senhores deste país cometem - com a complacência relativista de tantos que ainda há pouco mais de um ano rasgavam vestes com coisas menos graves.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.