Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Um filme para discutir como aqui se chegou

por Miguel Marujo, em 26.04.12

Documentário.

É um filme militante, não o esconde, que desvela factos históricos que podem ajudar a perceber o que o país andou para aqui chegar. Os Donos de Portugal é um documentário de Jorge Costa, que se [estreou] no dia 25 de abril, numa maratona de filmes deste género na RTP2. O filme [que pode ser visto na íntegra em baixo], que nasceu do livro homónimo (co-escrito por cinco dirigentes do Bloco de Esquerda, Jorge Costa, Luís Fazenda, Cecília Honório, Francisco Louçã e Fernando Rosas), retrata "Cem anos de poder económico". "Quisemos tornar acessíveis factos históricos, que são matéria útil de como aqui chegámos", explica Jorge Costa ao DN, que já viu o filme.

"Desde que o livro saiu, o país mudou muito, desde há um ano e meio", com a intervenção externa e a crise económica, diz o autor. Por isso, o filme pretende questionar – com esses factos – "se vivemos e quem viveu acima das suas possibilidades". É um retrato de família, uma "grande família", aquele a que assistimos em 48 minutos. "Os mesmos donos daquelas grandes famílias que povoavam a Baixa" lisboeta no século XIX povoam as páginas da imprensa deste início de século XXI, ouve-se logo a abrir o documentário, na narração de Fernando Alves. "Será que ainda lá vão estar em 2050?" Mesmo que hoje se encontrem "novas famílias capitalistas", a tese do filme que era a do livro é a de que "a árvore genealógica da burguesia portuguesa mostra-nos afinal uma grande família que domina o centro económico".

A teia tece-se com os mesmos nomes desde há 100 anos: Salgados, Espírito Santo, Roquette, Lima Mayer, Champalimaud, Cupertino Miranda, Soares dos Santos. Num umbiguismo que se reproduz pelo casamento, ou de outro modo, no campo económico com a bênção política: "Os bancos privatizados são adquiridos por privados com dinheiro emprestado pelos próprios bancos", resume a dado momento no documentário o economista Eugénio Rosa, sobre as privatizações que floresceram nos anos do cavaquismo (1985-1995).

Mas a síntese perfeita é dada pelo atual presidente do omnipresente Banco Espírito Santo. "O BES é um banco de todos os regimes, de todos os géneros", diz Ricardo Salgado, como que confirmando involuntariamente a tese do livro-documentário. Na narrativa de Os Donos de Portugal surgem episódios e personagens, que à luz dos dias que se vivem, parecem um fado repetido. Ali se recorda a crise financeira de 1876 e o empréstimo inglês a Portugal. Ou, muito mais recente, o "escândalo" da venda do Totta & Açores aos espanhóis do Banesto, no consulado de Cavaco, onde há caras que também são familiares no caso BPN. A História não se repetirá, mas tem coincidências: são "as teias da política que organiza os grandes negócios", defende-se no documentário. "E sob o regime da dívida, a própria democracia política é ameaçada", conclui-se.

 

[texto escrito para o DN, que saiu numa versão muito curta na edição em papel do dia 25/4/2012]

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





Seguir

foto do autor


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D


Links

KO! [EM DESTAQUE]

  •  
  • OS QUE LINKAM A...

  •  
  • MUITO CÁ DE TODOS OS DIAS

  •  
  • CÁ DA CASA TUDO PARADO

  •  
  • MUITO CÁ DO PRÉDIO

  •  
  • MUITO CÁ DO BAIRRO

  •  
  • ESPECIALISTAS [CINEMÚSICA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [COMUNICAÇÃO]

  •  
  • ESPECIALISTAS [ESCRITA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [HISTÓRIA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [FOTOGRAFIA+ILUSTRAÇÃO]

  •  
  • ESPECIALISTAS [IGREJA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [HUMOR]

  •  
  • ESPECIALISTAS [SABERES]

  •  
  • PARA DESCOBRIR

  •  
  • FORA DOS BLOGUES