Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Novembro 26, 2010

A porta da rua é a serventia da casa

Miguel Marujo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

«O ministro de Estado e das Finanças advertiu hoje que Portugal, a par do processo de consolidação orçamental, terá de "aprofundar" reformas no mercado de trabalho.» Já se adivinhava: este discurso castrador da inevitabilidade de um orçamento assim como solução única fazia desconfiar que viesse aí dose mais violenta. O que Teixeira dos Santos hoje disse é que as empresas devem poder despedir sem empecilhos. Preto no branco: aos incompetentes, mostra-se a porta da rua, não é necessário flexibilizar aquilo que já é tremendamente flexível (alguém conhece legislação mais liberal que a nossa, que evita que os jovens entrem a sério no mercado de trabalho?!). Mas o problema é não podermos aplicar a quem falha redondamente há três anos (2008, 2009 e 2010) as suas previsões e contas e cortes uma maior flexibilidade: a porta da rua para Teixeira dos Santos. Com ou sem remodelação, aí sim estaríamos a aprofundar a reforma do mercado de trabalho.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.