Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Maio 26, 2010

Para que conste (II)

Miguel Marujo

Ia a escrever aqui que o Metro-condenado não foi apenas a empresa. Foram Nuno Henrique Luz, Tiago Bugarim e Juan Herrero (sim, esse administrador da Média Capital na berlinda do processo da TVI) os responsáveis primeiros pelo meu despedimento em nome da empresa Transjornal, então propriedade da Média Capital e dos suecos do Metro internacional. E ia dizer que este esclarecimento se impunha porque, agora, até a empresa é diferente. Mas, para que conste, muda o patrão mas a porcaria é a mesma: hoje houve mais despedimentos no jornal que todos os dias se proclama como o que tem mais leitores no país, mas que agora devem estar a justificar-se com a crise. A M., pelo menos, está na rua, apesar de dar o litro há cinco anos por aquela gentinha. O jornal não merece profissionais e pessoas como a M., mas é ela que agora se vê no olho da rua. Os patrõezinhos vão continuar a andar de mercedes e bê-émes, sem sofrerem pontinha da crise.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.