Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Setembro 29, 2009

Quase deserto

Miguel Marujo

Do ar, olha-se o mar que se se fina na terra verde e rugosa. Montanhas que se vão erguendo, parecendo tocar o céu - e o avião. Lá em baixo, a floresta sucede-se à floresta, de quando em vez sinais dos homens pontilham a terra: casas isoladas, intuem-se a quase dez mil metros de altitude, aldeias, vilas. Aglomerados indistintos, caminhos de terra batida. Depois, um pequeno curso de água rompe o verde e a montanha e o seu caminho faz-se serpenteado até chegar ao deserto. A linha do horizonte confunde terra e céu, numa luminosidade que nos mergulha o olhar para o chão: o rio Nilo Azul rompe o deserto e o verde dá esperança às aldeias que se acotovelam nas margens. Foi o mais próximo que estive do deserto. Terra cheia de esperança, com pedaços de guerra.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.