Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Agosto 08, 2009

Quando eu morrer batam em latas

Miguel Marujo

«Uma frase perdida: “A vida é sempre em volta”. A pergunta metafísica: “Que fazer do homem que não gasta o destino”. Uma dúvida de fé: “Se Deus existe, porque nunca veio ver o meu espectáculo?”. Epitáfio proposto: “Agora já é tarde”. E aí está o Raul feito e medido. Do Solnado eu nem falo.»

Millôr Fernandes, Rio de Janeiro, Outubro de 1990, in “A Vida não se Perdeu”, Leonor Xavier, Lisboa, 1991, Difusão Cultural