Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Junho 29, 2009

Índice do situacionismo (abrupto)

Miguel Marujo

Pacheco Pereira escreve no Público, uma vez por semana; e mais umas vezes soltas que lhe pedem ao longo do ano. Pacheco Pereira escreve na Sábado, uma vez por semana. Pacheco Pereira tem um programa no Rádio Clube, que julgo ser aos dias úteis. Pacheco Pereira perora na Quadratura do Círculo, todas as semanas na SIC-N, às vezes com direito de apanhados para os noticiários da estação. Pacheco Pereira tem um blogue, Abrupto, e mais uns blogues-arquivos de coisas que lhe interessam. No entanto, Pacheco Pereira diz-nos todas as semanas e todos os dias que a liberdade de expressão neste país - onde tantos lhe pagam para ele falar - está em perigo. Feliz país que deixa um opositor falar tanto e tão livremente como o nosso, muito longe de uma Itália berlusconizada que no entanto preocupa pouco o partido de Pacheco Pereira. Coerências.

 

Mas Pacheco queixa-se, muito e sempre. Onde? Queixou-se de novo no arranque de mais um programa seu na SIC-N, onde (imagine-se) vai fazer crítica da comunicação social. (Não, não o calaram: deram-lhe mais um sítio para ele se queixar!)

 

«Não é ciência, nem jornalismo, não tem a preocupação de ser equilibrado, nem isento e não será muitas vezes justo.» Este é o aviso que ele deixa à navegação. Perante isto, Pacheco queixa-se de barriga cheia. Feliz um país como o nosso que dá tantos contrapontos a um "historiador" assim. Ele que experimente Itália.

6 comentários

Comentar post