Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cibertúlia

Dúvidas, inquietações, provocações, amores, afectos e risos.

Agosto 12, 2008

Tiro certeiro (a propósito de um comentário)

Miguel Marujo

Pressuposto errado, Maldonado: ao contrário do que diz, os media fazem muito alarido quando morre um polícia (e rejubilam, como rejubilaram nos últimos dias, com a morte de um ladrão). Outro detalhe: quantos polícias morrem por ano? E quantos "delinquentes" morrem com balas atiradas para o ar ou para os pneus?

Para rematar, o mais importante, aquilo que me importa ver discutido: o problema não é da autoridade do Estado Novo. Exactamente por vivermos e sermos uma democracia é que não podemos ficar contentes com estas actuações policiais. Na democracia, o poder de condenação não é do tiro certeiro, é do juiz. Na democracia, eu exijo que as polícias não se comportem como esquadrões da morte. Na democracia, eu não quero uma autoridade policial que actue como no Estado Novo. Isto é muito simples de aprender. O problema não é o alarido, o problema é a morte de uma criança de 11 anos.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.