Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Este dia da omissão

por Miguel Marujo, em 23.01.16

Hoje, o leitor abre o jornal, qualquer jornal, e não encontra uma linha sobre o que se passou ontem neste país, que mobilizou centenas, milhares de pessoas, em vários pontos do país, e que foi notícia. Os jornais, as rádios e as televisões demitem-se de fazer aquilo para o que nasceram: informar. Porque uma lei assim o diz, assim o impõe. Diz que é dia de reflexão - é antes o dia da omissão.

Quem esteve a ver um canal de informação na televisão na noite de ontem choca de frente com este absurdo: até à meia-noite sucederam-se diretos e comentários sobre os últimos cartuchos de uma campanha eleitoral. De repente, ao sinal horário das 00.00, o mundo mudou - nem mais uma palavra de ordem se ouviu, nem mais uma bandeira se viu. Não é informação, é omissão.

O dia de reflexão não é anedótico de agora. Já o é há muito: desde que a maturidade democrática se implantou, mais ainda quando a internet e as redes sociais caducaram o anacronismo da lei. Não peço que se acabe com a pausa de um dia na campanha - essa acabou à meia-noite. E bem. O que contesto é o anacronismo de se proibir aquilo que não faz sentido proibir: a informação sobre o que se passou ontem.

Um dia, quando alguém se debruçar sobre a história da democracia portuguesa, terá uma grande dificuldade em encontrar relatos sobre o que se passou no último dia de qualquer campanha eleitoral: os jornais em papel ignoram-no, as publicações na internet perdem-se muitas vezes. Aquilo que este dia de reflexão lega é um imenso buraco. Que em nada contribui para a democracia. Acabar com a impossibilidade da comunicação social fazer o seu trabalho neste dia devia ser uma prioridade na revisão de uma lei que, demasiadas vezes, só é lembrada nas vésperas de atos eleitorais. Informar também é optar. Não omitir.

[publicado originalmente a 3 de outubro de 2015, dia de reflexão nas eleições legislativas, no DN]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olha para mim, estou no céu: levanta-te e canta

por Miguel Marujo, em 11.01.16

David Bowie. 1947-2016.

Autoria e outros dados (tags, etc)

chega a hora

por Miguel Marujo, em 04.01.16

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Só nesta rusga não há lugar para o cidadão

por Miguel Marujo, em 01.01.16

Faltavam uns 15 minutos para as 15.00 da terça-feira passada, dia 29, quando o autocarro foi ultrapassado por uma caravana da polícia, que bloqueariam o mesmo autocarro 50 metros à frente. A dois dias do fim do ano, a PSP subiu a Rua Maria Pia, em Lisboa, para se deter na Meia Laranja e fazer uma rusga no supermercado da droga que nunca o deixou de ser verdadeiramente, mesmo depois da “limpeza” do Casal Ventoso. A carreira 742 foi assim a primeira a ficar parada de quem sobe de Alcântara, sem possibilidades de se mover. Um agente informou o motorista que os passageiros podiam sair porque a operação podia “demorar um bocadinho”. Mas estes não podiam subir a pé a rua, que era o seu destino, só regressar a Alcântara, numa rua sem outro caminho possível.

Sem poderes adivinhatórios do que significa um “bocadinho” em linguagem policial, eu e muitos outros optámos por ficar e aguardar. Sem perceber porque não podia a polícia abrir uma faixa de rodagem do lado oposto aquele em que decorria a rusga para, pelo menos (os carros podiam inverter a marcha), permitir a circulação dos autocarros (já eram dois bloqueados e não terão sido mais porque o motorista avisou a central), muitos lamentavam-se do atraso com que iam chegar ao trabalho, aos seus afazeres.

Ao fim de 25 minutos, deixaram os peões subir a rua pela esquerda. Quando questionei um primeiro agente porque não tinham feito aquilo mais cedo, a resposta foi a de sempre. Limitavam-se a cumprir ordens. À insistência, veio a ordem para “circular”. Um segundo resolveu provocar: “Bom ano” e “a culpa é do fascismo”, atirou-me. As palavras foram do agente, não minhas. E fizeram ricochete: lembrei-me que só nestas rusgas não há lugar para os cidadãos. E aposto que foi muito aparato para nada. Duvido que a meia hora com que se interrompeu o trânsito (logo a seguir abriram a tal faixa de rodagem) tenha justificado mais do que umas quantas doses apreendidas e uns quantos tipos identificados. Nas paragens seguintes, muitos protestavam com o motorista. Não, a culpa foi mesmo da PSP.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nothing changes on New Year's Day

por Miguel Marujo, em 01.01.16

(E a história desta canção)

Autoria e outros dados (tags, etc)





Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2003
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D


Links

KO! [EM DESTAQUE]

  •  
  • OS QUE LINKAM A...

  •  
  • MUITO CÁ DE TODOS OS DIAS

  •  
  • CÁ DA CASA TUDO PARADO

  •  
  • MUITO CÁ DO PRÉDIO

  •  
  • MUITO CÁ DO BAIRRO

  •  
  • ESPECIALISTAS [CINEMÚSICA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [COMUNICAÇÃO]

  •  
  • ESPECIALISTAS [ESCRITA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [HISTÓRIA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [FOTOGRAFIA+ILUSTRAÇÃO]

  •  
  • ESPECIALISTAS [IGREJA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [HUMOR]

  •  
  • ESPECIALISTAS [SABERES]

  •  
  • PARA DESCOBRIR

  •  
  • FORA DOS BLOGUES





    Sitemeter