Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Esquerdas - da falta de memória

por Miguel Marujo, em 15.07.13

[no meu regresso de férias]

 

O Bloco de Esquerda pediu ao PS, no sábado, que não negociasse nada sobre "acordo" algum pedido por Cavaco, colocando-se de fora da óbvia exigência de integrar essa discussão (depois do Presidente que se diz da República descaradamente ter ignorado dois partidos que representam cerca de 20% dos eleitores portugueses) e fazendo assim um favor ao inquilino de Belém. Os bloquistas esqueceram a lição de 2011, quando não quiseram reunir com a troika, sofrendo também por isso uma penalização forte nas eleições legislativas desse ano. O conservador PCP seguiu o mesmo caminho, para depois apontar o dedo estafado "à política de direita do PS".

É assim a esquerda, diz-nos a prática, não fosse esta (se se tiver memória) enganadora: em 1989, Jorge Sampaio federou um consenso à esquerda para a Câmara de Lisboa (algo que muitos julgavam impossível), que depois se renovaria e alargaria. (Os comunistas romperam mais tarde, os hoje bloquistas saíram quando Luís Fazenda liderava a concelhia...).

O jogo socialista de se sentar à mesa (apesar do PS ter insistido para que BE e PCP também se juntassem) é de risco, mas já se percebeu que o país está dividido sobre a necessidade de romper já (com eleições) ou tentar chegar ao fim do famigerado memorando (julho de 2014, a data de Cavaco). Nesse deve e haver, não basta que se aponte um horizonte de eleições (mesmo que para daqui um ano).

Aceitar qualquer reforma baseada nos cortes de 4700 milhões de euros será o mesmo que dizer adeus ao voto de muitos eleitores. O PS tem de centrar o seu discurso em duas balizas: reformar sem valores na mesa (afinal, estes 4700 milhões foram uma invenção gaspariana para troika ver); reformar sem atingir o cerne do Estado Social - saúde, educação, segurança social. Aquilo que deve ser posto na mesa do debate são funções do Estado que, por estranhos motivos, não são questionáveis: a defesa, para começar. Porquê manter um estado dentro do Estado? As PPP: porque não romper contratos penalizadores, como os da Lusoponte, resgatando para o Estado essas parcerias? Os swap: porque não rasgar estes contratos? A contratualização fora do Estado: porque continuar a entregar aos privados aquilo que o público pode e tem capacidade de fazer? Tantas coisas para fazer antes de atacar aquilo que sempre se atacou: o SNS, a escola pública, as pensões e reformas.

 

A esquerda (toda) tinha mais uma oportunidade para se fazer valer junto da direita. Não quiseram PCP e BE, deixando o PS sozinho, acusando-o de colaborar com a mesma direita a quem se aliaram em 2011 para derrubar um governo socialista. Comunistas e bloquistas insistem que não têm de negociar, mas os mesmos já se sentaram à mesa com o Governo (e não com o PSD e CDS) a discutir a reforma do Estado. Podiam não fazer valer nenhum dos seus pontos de vista, mas faziam-se ouvir. O que a esquerda continua a fazer é ilusionismo. Falta ao PCP e BE descerem ao terreno concreto e mostrarem que querem ser um projeto de poder - só assim podem proclamar (alto e bom som) que a esquerda deve governar.

[outras leituras recomendadas:
Ana Matos Pires, Não entendo...

Rui Bebiano, PS na grande encruzilhada
Pedro Marques Lopes, Insustentáveis
João Galamba, Salvação, disse ele]

Autoria e outros dados (tags, etc)





Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2003
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D


Links

KO! [EM DESTAQUE]

  •  
  • OS QUE LINKAM A...

  •  
  • MUITO CÁ DE TODOS OS DIAS

  •  
  • CÁ DA CASA TUDO PARADO

  •  
  • MUITO CÁ DO PRÉDIO

  •  
  • MUITO CÁ DO BAIRRO

  •  
  • ESPECIALISTAS [CINEMÚSICA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [COMUNICAÇÃO]

  •  
  • ESPECIALISTAS [ESCRITA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [HISTÓRIA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [FOTOGRAFIA+ILUSTRAÇÃO]

  •  
  • ESPECIALISTAS [IGREJA]

  •  
  • ESPECIALISTAS [HUMOR]

  •  
  • ESPECIALISTAS [SABERES]

  •  
  • PARA DESCOBRIR

  •  
  • FORA DOS BLOGUES





    Sitemeter